Ana Carolina Martins da Silva. Educadora. Ambientalista. Poetisa. Ativista Social. Bonequeira.

Na terça-feira, às 19h, no Santander Cultural, a turma de Mídia e Comunicação da UERGS em Porto Alegre assistiu ao longa-metragem Dyonélio, em sessão comentada pelo diretor Jaime Lerner, pelo patrono da Feira, Luís Augusto Fischer, e pelo ator e protagonista do filme, Clemente Viscaíno.

Os 30 ingressos foram Cortesia de Estudante por parte do Santander Cultural. Entre documentário e ficção, o filme conta a trajetória de Dyonélio Machado (1895 –1985), um dos maiores escritores gaúchos, conhecido como o autor de Os Ratos.

Clique aqui e leia a reportagem da ZH, ilustrada pela foto acima, de Juan/Agência RBS, sobre o filme. O Documentário segue em cartaz na Casa de Cultura Mário Quintana até amanhã!

DYONÉLIO (Brasil – 74min, 2013). Documentário de Jaime Lerner – com Clemente Viscaino. – Manga Rosa Filmes – Livre.
Local:  Sala Norberto Lubisco
Horários: 16h15min
Período: de 8 a 14 de novembro (segunda-feira não há sessões)
Ingressos:  terças e quartas-feiras R$ 8,00; de sexta a domingo e feriados R$ 10,00 – descontos de 50% para estudantes, idosos e clientes do Banrisul; na quinta-feira, preço único de R$ 5,00 para todos.

Sinopse: Autor de “Os Ratos” (1935), um dos romances mais premiados do Rio Grande do Sul, o escritor gaúcho Dyonélio Machado atuou também em outras áreas: foi político, cientista e médico psiquiatra. Misturando ficção e documentário, o filme aborda o universo deste personagem emblemático na cultura rio-grandense.

Anúncios

Comentários em: "Dyonélio, Jaime Lerner e a UERGS" (2)

  1. Gilmar de Azevedo disse:

    Cara colega Ana Carolina e queridos especializandos, desejo que estejam bem e felizes. Mais uma vez estão todos de parabéns. Se em uma semana antes interagiram em importante e concorrido evente na Feira do Livro de POA, agora estão mais contagiados com a literatura com a participação neste evento lítero-cinematográfico. Uma, de muitas, das qualidades da Ana Carolina é a agregação do fazer pedagógico à cultura, à arte. Sensacional. Estou esperando a oportunidade de assistir a este filme-documentário sobre o Dyonélio Machado por quem nutro grande admiração como pessoa e como escritor. Como pessoa porque o conheci em 1981 em Passo Fundo quando participei, como aluno do 2º ano do Segundo Grau (atual Ensino Médio) do 1º Encontro Sul-rio-grandense de escritores. Em seu habitual silêncio dizia muito com poucas palavras, era solidário e cavalheiro. Como escritor porque fiz uma extensa investigação sobre sua obra, especialmente sobre Os ratos e O louco do cati. Não é por nada que Guimarães Rosa afirmou que O louco do cati é uma das 10 obras mais importantes de nossa literatura. Colegas, é assim mesmo: a sala de aula se abre e as culturas nos invadem como o sol do verão e a neblina do inverno e tão coloridos como as cores da primavera. O que fica é o mistério do outono. Avante!

  2. Marina Lima Leal disse:

    Muito importante a participação dos estudantes em atividades tão ricas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: