Ana Carolina Martins da Silva. Educadora. Ambientalista. Poetisa. Bonequeira.

Dia do Meio Ambiente, pois é, cada vez estamos com menos “Meio”, pelo que se vê. Estamos vivendo um futuro que, não apenas repete o passado, mas o agrava, o piora, porque – antes – tínhamos esperança! Porém, como dizia Cazuza: “O tempo não pára” , então, quem sabe… amanhã será um novo futuro? Dia de Meio Ambiente é dia de debate, por isso, posto novamente um vídeo que fiz, em junho de 2016, publicando em maio do mesmo ano. São depoimentos e reflexões sobre a flexibilização da Legislação Ambiental no Brasil, para subsidiar e instrumentalizar sobre este tema em ambientes de defesa de ideias.  Tive o auxílio luxuoso do Prof. Paulo Brack (DOCENTE DA UFRGS e REPRESENTANTE DO INGÁ/PORTO ALEGRE); do Ambientalista Sylvio Nogueira (AGAPAN, MOGDEMA, MOVIMENTO EM DEFESA DA ORLA e outros Movimentos sociais); do Augusto Costa (TAXISTA DE PORTO ALEGRE/RS); do Jornalista Ayres Cerutti (EDITOR DA REVISTA PROGRAMA de TURISMO) e Banda BATE&SOPRA, que me autorizou que usasse sua interpretação para uma canção do Pepeu Gomes:  A Flor do desejo.

Em contato com prof. Brack, perguntei se gostaria de atualizar alguma informação para essa postagem. Ele me respondeu assim:

No Dia do Meio Ambiente, o balanço continua negativo em relação aos cuidados necessários para a manutenção dos ecossistemas gaúchos. Seguimos sendo testemunhas do descaso deliberado dos governos que encaram meio ambiente como “trava” aos seus interesses imediatistas de uma economia de ganância e apropriação da natureza. Neste ano eleitoral, a população deve varrer políticos que mantêm a lógica de que meio ambiente atrapalha. Temos ainda tempo para esta mudança. Mas, a natureza está adoentada e precisa de cuidados emergenciais e da atenção de todos! (P.Brack – 5/6/2018).

Clique aqui para ler entrevista do prof. Paulo Brack no blog: Via Biodiversa.

Diga: Não! à flexibilização da Legislação Ambiental no Brasil, me pareceu importante hoje, pois trouxe para o vídeo Textos Fundamentais: A Constituição Brasileira; o livro “A HISTÓRIA DO AMBIENTALISMO” de AUGUSTO CUNHA CARNEIRO, SAGRA, 2003; “O Licenciamento ambiental sob ataque severo do poder econômico” de EDUARDO LUÍS RUPPENTHAL, publicado no SUL21 (28/abr/2016).

Mais do que nunca, precisamos ressignificar o bordão: “Salve a natureza!”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: