Ana Carolina Martins da Silva. Educadora. Ambientalista. Poetisa. Ativista Social. Bonequeira.

Arquivo para a categoria ‘Uncategorized’

Cancelamento 5ª Edição do Projeto de Extensão “Práticas Leitoras…” na 63 Feira do Livro de POA”

COMUNICADO:

A 5ª edição do Projeto de Extensão “Práticas leitoras em múltiplas linguagens e Bibliodiversidade”, da Uergs, sob minha coordenação, agendada para se realizar nos dias 17 e 18 de Novembro (Manhã e tarde – Livraria Paulinas) e dia 19 de novembro (Tarde – Tenda da Pasárgada), junto à 63 Feira do Livro de Porto Alegre foi cancelada.

Fatores como: a)  Conjuntura política nacional e estadual: nossas comunidades estão sob constante ameaça de medidas que tiram seus direitos, e estas questões têm levado a paralisações temporárias e, ou mais longas, de diversas categorias, além de uma instabilidade geral na Nação; b) Conjuntura financeira da Uergs e de nossos alunos: muitos alunos têm tido dificuldades para ir a todas as aulas em função de preços de passagens, alimentação e coisas do gênero, o que lhes tem gerado muitas faltas. Considerando os feriados deste ano, que culminaram em inúmeros feriadões, mais algumas atividades fora de sala – que o projeto demandaria – poderia inviabilizar o semestre para alguns deles; c) Conjuntura profissional e pessoal: estou assoberbada como professora; e, como doutoranda (Programa Associado UCS/Uniritter); somo a isso, todas as questões financeiras pessoais envolvidas.

Assim, para manter o evento no patamar de qualidade dos outros quatro que o antecederam, para este ano, o evento deve ser cancelado, o que já fiz, devolvendo as datas para a Câmara. (Observação: segundo informações da Reitoria, a Uergs divulgará outra programação da IES na 63 Feira do Livro, em breve).

Agradeço aos bolsistas selecionados:BOLSISTA REMUNERADO: Luiz Eduardo Menezes Gomes – LETRAS; BOLSISTAS VOLUNTÁRIOS: Cristiane Martins Cabral– LETRAS; Fernando Rosa da Rosa – ADMINISTRAÇÃO: Saúde; Francis Silveira de Vasconcellos – LETRAS e Juliana Camargo Fagundes – Administração: Gestão Pública, que não apenas se empenharam nos estudos sobre Extensão no primeiro semestre, mas também, inscreveram no 7º SIEPEX e tiveram resumos aprovados, com temas envolvendo a Feira do Livro. Agradeço a João Goulart e Juliana Gimenez – Letras/Uergs, que haviam se comprometido em compor e ajudar a montar o espetáculo “O Grito” e a Bernardo Mendes, pela compreensãoAgradeço à Sônia Zanchetta (Coordenadora da Área Infanto-juvenil) da Câmara Rio-Grandense do Livro; aos colegas docentes da Uergs, que haviam se comprometido a desenvolver o trabalho junto comigo: Eduardo Guedes Pacheco, Sandra Lemos, Luciano Andreatta, Vinícius Martins, Rochele Santaiana, Tatiana Rech, Sita Marta L. Sant’Anna e Edilma Lima. Em 2019, se tudo melhorar, a proposta de parceria será renovada! Muito obrigada.

Sendo o que tinha para o momento, me coloco à disposição para, pessoalmente, maiores esclarecimentos.

Atenciosamente,

Profa. Me. Ana Carolina Martins da Silva

Coordenadora do Projeto de Extensão: “Práticas leitoras em múltiplas linguagens e Bibliodiversidade”.

Cancelada a 5 Edição do Projeto Práticas Leitoras na 63 Feira do Livro de POA

Anúncios

Estreia em Teatro de Ana De Cesaro!!

Maravilha, maravilha! Parabéns a todo o Grupo de Teatro – Cia Sonho Cultural – Oficina de Atores!! Sucesssooo!!

Estreia de “Um caso Fúnebre” no Teatro Antônio Fagundes – RJ

22/7 – Dia de combinar a CIDADE QUE QUEREMOS

 

A cidade mercadoria ou a cidade de direitos?

53 motivos para ser feliz!

Dia 03/7: meu aniversário de 53 anos. Como explicar… em mim, feliz. No Brasil, tensa. No RS, hipertensa. Dentro, vai se tocando. Fora, “estar no meio do ciclone”!

Só tenho a agradecer: muito obrigada, Deus!

Lista de 53 motivos para ser feliz:

  1. Meus pais
  2. Minhas filhas
  3. Meus irmãos e minha irmã
  4. A família toda advinda deles (incluindo os bichos)
  5. Meu amigo Sylvio Nogueira Jr.
  6. Meus ex-amores
  7. Meu amor atual
  8. Minha Fé
  9. A luta
  10. A esperança
  11. A água
  12. A terra
  13. O ar
  14. O fogo
  15. O Toquinho de Giz
  16. A Bibi
  17. O Bartô
  18. A paçoquinha
  19. Meus alunos
  20. Meus amigos
  21. A arte
  22. A lua
  23. Meu corpo
  24. Ter do que sentir saudade
  25. Ter o que oferecer
  26. Amar
  27. Ser amada
  28. O circo
  29. Os livros
  30. O teatro
  31. Os corajosos
  32. Os homens, os travestis, e outros…
  33. As mulheres
  34. A psiquiatria
  35. A gramática Funcional
  36. A animação cultural
  37. A AGAPAN
  38. O GESP
  39. A ASPAN
  40. As 38 entidades ambientalistas da APEDEMA/RS
  41. A Igreja Metodista
  42. A cama quente em um dia frio
  43. O doce de leite da minha mãe
  44. O feijão da minha mãe
  45. A minha pizza de sardinha
  46. A Uergs
  47. A UCS
  48. A UniRitter
  49. O Teatro São Pedro
  50. Os Movimentos Sociais da Via Campesina
  51. A justiça Social
  52. O Centro Histórico de Porto Alegre
  53. O verbo – nele – tudo se multiplica, se simplifica, se implica, se replica, se inspirifica. (Este último item vai em homenagem a Arnaldo Antunes – que também é um bom motivo para se sorrir.

 

 

Inscrição no SISU – Escolha a Uergs!!

Confiram em: Uergs – Institucional

Comece a transformar seu mundo de uma forma bem simples: utilize a nota do Enem 2016 e se inscreva no Sisu em 2017, entre os dias 24 e 27 de janeiro.

Uergs-sisu-2017-todos-os-cursos-de-Poa

Uergs-sisu-2017-todos-os-cursos-de-Poa

Confira a tabela completa dos cursos da Uergs no site e venha estudar em uma das melhores universidades públicas do país. : uergs.rs.gov.br/ingresso2017
#TransformeSeuMundo #Top5RS

De minha parte, gostaria de incentivá-los a conhecer o nosso Curso de Letras – agora em sua segunda edição!

Institucional-Uergs- Letras - POA

Uergs- Letras – POA

Maria Luiza Antunes Moreira: uma história de amor.

Maria Luiza Antunes Moreira - Jornalista -Diretora da ARI

Maria Luiza Antunes Moreira – Jornalista -Diretora da ARI

Vamos falar sobre pessoas que amamos? Então, eu tenho feito tantas coisas nesta vida, que – penso – estou ficando sem tempo para amar, mas amar é um verbo tão bom e generoso que se joga em mim – sempre que estou seca de amor. Foi assim que aconteceu quando conheci a Maria Luiza Antunes Moreira. Gostaria de dizer que isto aconteceu só comigo, mas não. Ela foi amada e deu amor para todo o seu círculo de pessoas – de perto e de longe. Eu ganhei um pouco deste amor. Sempre que publicava alguma coisa importante em termos de arte, de cultura, de minhas pequenas vitórias, eu pensava – pelo menos a Maria Luiza Antunes Moreira vai curtir. Dito e feito. Agora, ela se foi – e se foi numa semana em que eu não tive tempo nem para respirar quase. Fui na sua despedida – suada, com o estômago embrulhado, com uma mochila nas costas (pesada de papel e de paradoxos). Fui – como quem vai a um evento – com aquela responsabilidade. Porém, ao chegar lá – ela não estava guardando um lugar para mim do lado dela, não veio me trazer um pratinho de salgadinhos que tinha deixado separado, nem ficar sentada de mãos dadas comigo, me contando as novidades. Estava plantadinha dentre flores e amores. Foi – então – no meio desta minha vida absolutamente solitária, que me dei conta do que tinha perdido. Fiz este vídeo por amor. Fiz para a Cristina, para seu irmão, para a família da Maria Luiza Antunes Moreira e para seus amigos. Pedi à Thamara De Costa Pereira o seu texto emprestado, ela emprestou. Peguei a mensagem do Ayres Cerutti – que sempre fala muito, com pouco – e Silvio Caldas e fiquei até de madrugada de mãos dadas com a Maria Luiza Antunes Moreira. Agora, preciso soltar sua mão. Minha querida, preciso soltar sua mão para que você possa voar, possa ficar livre sobrevoando nossos imaginários desta forma – como te víamos: linda, ativa, amorosa. Espero que tu gostes – pena que não estarás aqui para me escrever coisinhas queridas nos comentários, como sempre fizeste. Isto, me perdoa, Maria Luiza Antunes Moreira, não há grandeza de espírito que contorne. Por isto, eu não vou perdoar a vida jamais – nos ter te tirado tão cedo de nós. Estou de mal. Beijos aos familiares, aos amigos.

 

2017 – o ano “novo”!!

Encerrar um ano inacreditável é difícil, porque ele não se encerra em si mesmo, a vida continua com ele, que se estende. 2016 nunca mais vai ser esquecido, a gente pensa, mas  – não – nós vamos esquecê-lo sim. Todos os sofrimentos e as alegrias serão, aos poucos, engolidos pelo ano novo, como as ondas engoliram os poemas do Anchieta. Vamos lembrar os fatos talvez, mas aquelas dores e (ou) alegrias genuínas, não. Elas vão secando com o sal, assim como nossa alma também tende a secar. Este tipo de data festiva, como a “Entrada do Ano Novo” nos força a nos colocar diante da realidade ininterrupta da vida! A vida segue. Temos de juntar os feridos, juntar os vasos quebrados, juntar os trocados, juntar os cadernos com as folhas que sobraram e continuar. Não adianta ficar pensando que tudo é ruim, ou que a vida é um mar de rosas. A vida é a vida! Previsível, inclusive. Eu gostaria de dizer que a vida é surpreendente, mas creio firmemente que a vida é previsível. As consequências do capitalismo, por exemplo, todo mundo sabe quais são! As consequências da vida sedentária ou da vida ativa, as consequências das boas e (ou) das más ações… as consequências das ações (ditas) neutras são totalmente previsíveis. Então, como manter perspectivas para um ano que se quer NOVO? Penso que fazendo do famoso limão, a sua famosa limonada: que bom que a vida segue! Que bom que o ano novo vai começar! Que bom que vamos sonhar que o ano vai ser diferente! Que bom que – se tivermos atitudes diferentes – a nossa vida vai ser – de fato – diferente! Que bom que 2016 acabou! Vamos fazer de conta que sim! Acabou! Hora de agradecer aos amigos, às amigas, à família, aos colegas de trabalho e – no meu caso – também aos meus alunos e às minhas alunas. Agradecer às pessoas que passam, às que não passam. Agradecer pela vida dos mortos e pela vida dos vivos. Agradecer pelo alimento. Eu, como sou Cristã, agradeço primeiro a Deus, ao meu Deus protocolado pela Bíblia Metodista e certificado em 07 vias reconhecidas em cartório, mas entendo quem agradece a outros Deuses, ou agradece porque Deus não existe, na sua concepção. Hora de pedir coisas boas para 2017! Sucesso, saúde, paz, menos vacilos e mais empreendimentos! Daqui a pouco, 2016 vai estar fora da folhinha. Viva 2017. Ano Novo e Vida Nova.

Grande abraço a todos e a todas! – AC

Como é festa, seguem duas trilhas sonoras imbatíveis:

E – sobretudo – como tive muitos Anjos do Senhor que me cuidaram neste Ano de 2016, me protegendo de todo o mal, localizo um obreiro de Cristo, que – nesta canção- me representa perante todos VOCÊS – que sabem bem quem são!